top of page

Mentalidade empreendedora



Nossa filosofia de vida, influencia nossos hábitos e comportamentos, é onde tudo começa a acontecer.


Ter seu próprio negócio é desejo de muitos, mas o difícil mesmo é deixar de ter uma mente de funcionário e transformar em uma mente empreendedora. Podemos dizer que a forma como pensamos é capaz de modificar a forma que encaramos o empreender e o trabalhar.


Ter um negócio, seja online ou físico, exige pensar diferente e se esforçar para que as ideias não fiquem somente no papel.


De acordo com o livro, Prosperidade Judaica de Yehuda Berg, o verdadeiro inimigo não está no meio das pessoas, pelo contrário, ele habita dentro de nós. É ele que nos distrai e nos faz perder o foco. Nos controla de tal forma que nos faz comportar como fantoches, sendo EFEITO e não CAUSA.


E quando você não vive por uma CAUSA, por um sonho, por um ideal, pela missão de vida, você viverá pelo EFEITO das circunstâncias. É o seu inimigo interior te controlando.


Como você pensa determinará suas ações, e como você age determinará o seu futuro.


Se eu perguntasse a você agora, qual seria a resposta para essas questões?

Qual a sua mentalidade em relação ao dinheiro?

Qual o seu sonho real?

Como você vê as pessoas à sua volta?

Como você se vê?

Como você vê as pessoas ricas?

O que é riqueza para você?


Com minha experiência como empreendedora, posso dizer que muitas empresas fecham antes de terem o retorno do investimento, devido a não terem conhecimento e respostas para essas questões.


O primeiro passo para caminhar rumo ao sucesso, é o autoconhecimento. Conhecer a si mesmo é fundamental para conhecer o outro, para tomar decisões importantes em sua vida.


Conhecer a si mesmo, é saber das suas competências, das suas fragilidades, seus defeitos e medos. Conhecer a si mesmo, abre espaço para saber da sua missão de vida, do que você realmente está buscando alcançar, seus sonhos e realizações para uma vida feliz.


Vamos imaginar que sua família sempre foi da área da medicina, mas você gosta mesmo é de vendas, negociação, descobrir novidades com sua criatividade. Você poderá estudar medicina por influência da família, mas não será um profissional especial, realizado.


Mas se você aprende a si conhecer, você sabe do que você gosta, do que você quer e do que te deixa feliz. E quando você deixa de colocar o dinheiro em primeiro lugar, você enxerga o que te dará prazer em realizar, o dinheiro é consequência do seu trabalho feito com prazer, por amor.


Seu negócio, é o reflexo da sua personalidade. Você é um espelho para sua empresa, e o que você projeta nesse espelho, reflete na empresa. Se você é mesquinho, seus funcionários serão mesquinhos, sempre exigirão mais por menos trabalho, achando que estão trabalhando para te enriquecer. Se você for uma pessoa sem controle da sua vida, do seu dinheiro, sua empresa seguirá da mesma forma, seus funcionários não farão nada para economizar, se você é desorganizado, sua empresa será uma bagunça, se você limita as informações necessárias aos seus empregados, com receio que eles cresçam e seja mais um concorrente, você nunca terá sucesso, pois sua empresa seguirá limitada.


Por isso a importância de se conhecer. Tudo começa com o autoconhecimento.


Muitas pessoas montam um negócio, baseado na vida de outras pessoas que montaram e estão ganhando dinheiro, ou pela influência de amigos, da família, das mídias; e depois de algum tempo percebe que não é o tipo de negócio que gostaria de estar durante toda sua vida, que não consegue ter motivações para levar adiante, porque não é um negócio que é feito por prazer, com amor. Quem ama o que faz, não sente que está trabalhando, sempre está motivado e essa motivação é que o acalenta nas horas difíceis, que o faz suportar as decepções, que o faz querer descobrir novas oportunidades, subir novos degraus, alcançar novos patamares. A motivação é o que nos impulsiona para cima, e só conseguimos estar motivados quando gostamos e acreditamos no que fazemos. Com motivação, conseguimos sonhar, fazer planos e visualizar um futuro promissor.


Saber identificar quem você é e como você pensa, e ter em linhas gerais, seu sonho descrito, é conseguir visualizar seu sonho com os olhos da alma.


Quando nos conhecemos aprendemos a ouvir e entender o outro, aprendemos a ouvir nossos clientes, fornecedores, colaboradores, perdemos a arrogância e adquirimos a humildade, estamos abertos para receber críticas e elogios, estamos abertos à aprendizagem, deixamos o ego um pouco de lado e começamos a dar valor às coisas simples da vida, e assim encontramos as oportunidades.


Ter mentalidade empreendedora, é pensar, agir, comportar, conviver com pessoas que tenham os mesmos ideais, pessoas que são melhores do que você, que possam te inspirar, que possam passar boas referências e aprendizagens.


Segundo Jim Rohn, em seu livro, As Cinco Principais Peças Para O Quebra-Cabeça da Vida, nós somos a soma das cinco pessoas com quem convivemos, se você quer mudar de vida, comece a observar as pessoas com quem você vive diariamente. Como elas pensam, como elas vivem, como elas falam, como elas agem. Você pode se espelhar nessas pessoas?


Para ter sucesso, nós precisamos ser mais, somente assim conseguiremos ter mais.

Ter mente empreendedora é saber o que deseja para si mesmo e sua família, é saber onde quer chegar, é ter equilíbrio emocional, é saber enfrentar desafios e cocriar o futuro. Ter mente empreendedora é ver soluções nos problemas, é sentir desejo de contribuir com seu próximo, seu bairro, seu país, com o mundo em que vivemos.


Ter mente empreendedora é saber pedir ajuda, saber delegar funções, é aceitar desafios, não reclamar, não viver procurando culpados, saber perdoar, ser humano, saber ouvir e enxergar as coisas ao seu redor, é apender se reinventar e se reerguer depois de uma queda. Todo empreendedor quando cai por algum motivo, ele aprende com a queda e levanta-se muito mais forte, com novas ideias, sabendo o que fazer e principalmente, o que não fazer.


Para você ser empreendedor, você não precisa necessariamente ser “patrão”, a mente empreendedora deve estar presente em todas as atividades profissionais com o intuito de nos fazer crescer cada vez mais, seja qual for a sua profissão.


Você pode ser empreendedor trabalhando para outra pessoa, você pode ser empreendedor sendo advogado, contador, engenheiro, jornalista, médico, dona de casa, ou qualquer outra profissão. Toda pessoa com mente empreendedora, tem o passado como escola, o futuro como inspiração e o presente para agir. Toda pessoa com mente empreendedora tem um mentor para se inspirar, para se orientar.


São poucas as pessoas que se aventuram pelo mundo do empreendedorismo, que tem mentalidade empreendedora. Com a grande maioria, a mente empreendedora não passa de um surto empreendedor que acontece por alguns momentos, em outros, por alguns meses.


São momentos quando perde o emprego, quando acha que empreender é fácil e que o patrão está ficando rico às custas do trabalho dele, quando é incentivado por amigos ou familiares. Essa ideia é implantada em sua mente e você alimenta o fato de ser seu próprio patrão, até que vira uma obsessão e você monta seu negócio.


Segundo Michael Gerber em seu livro, O Mito do Empreendedor, esse momento conhecido como o Surto do Empreendedor, e tem como pressuposto fatal: “se você entende do serviço técnico de uma empresa, você entende dos negócios que envolvem esse serviço técnico”, na realidade essa é a origem da falência de muitas empresas.


Como dou muita consultoria na área da beleza, vejo muitos cabeleireiros(as) que eram cabeleireiros(as) em outros salões e resolveram abrir seu próprio salão, e em pouco tempo a empresa estava desmoronando. E a pergunta que muitos fazem. Por que se ele(a) é um ótimo(a) cabeleireiro(a), que tinha muitos clientes no outro salão no qual trabalhava, o que aconteceu com ele(a) depois que abriu seu próprio negócio? A resposta é simples. É mais fácil em bom administrador/gestor abrir um salão de beleza e contratar bons profissionais para fazer a parte técnica, e ter sucesso com seu empreendimento, do que um ótimo técnico abrir um salão, e se não souber gerir, a empresa não dará lucro e logo terá que fechar as portas e ir trabalhar para outras pessoas.


O técnico quando abre uma empresa, ele encara sua empresa como um emprego e não como investimento a longo prazo. Quase sempre, quando uma pessoa que abre um negócio porque ele se considera um bom técnico daquilo que sempre trabalhou e ama fazer (como exemplo: cozinhar, costurar, cortar cabelos, fazer unhas, consertos de equipamentos e tantos outros), a primeira sensação é de euforia e satisfação, depois vem as preocupações, em seguida o cansaço e exaustão, depois o desespero por se sentir perdido, o arrependimento, a busca de encontrar um culpado pelo que ele está passando, a falta de interesse pela empresa, pelo seu negócio, e por último, a sensação de fracasso. Nesse estágio é muito desgastante para a pessoa e principalmente para seus familiares que não conseguem ajudar e que também assumem uma parcela de culpa. Quase sempre nesse estágio, não somente a vida pessoal será afetada, como também a vida familiar, social, espiritual, e consequentemente, a saúde será afetada drasticamente.


Parece exagero, mas não é, quem já passou por isso sabe que essa é a verdade. Falo com propriedade de causa, porque já vivenciamos esses momentos, e foi no fundo do poço que

buscamos força e inspirações para nos reinventar, estudar, superar, e aprender com os erros.


A diferença entre pessoas com mente empreendedora com pessoas com mente de empregado, é que as pessoas com mente empreendedora, antes mesmo de abrir um negócio, seu pensamento está em como poderá contribuir, qual problema ele poderá resolver às pessoas ao seu redor, enquanto pessoas que ainda não aprenderam a ser empreendedores, o pensamento está voltado para si próprio, para satisfazer um desejo, o ego, criar um status de vida.


Para abrir um negócio é preciso que o dono tenha ou aprenda a ter mente empreendedora, e para não fracassar, tenha um mentor para te orientar.


Um mentor é aquele que já passou pelos caminhos que você terá que passar, e ele te orientará o que fazer, e o mais importante, o que não fazer.


Tenha um mentor!



Malu Iasuki- Coach Empresarial e Mentora em Negócios

Especialista em Gestão Produtiva e Lucratividade.

25 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page